Federico Bertolazzi

Orto di Incendio

A exposição Orto di Incendio é uma homenagem livre e apaixonada a
um poeta que marcou com força a cena literária e artística do seu país.
Al Berto, poeta que em Bruxelas estudou para pintor, foi uma figura
de referência no Portugal das décadas de Oitenta e Noventa. Depois
do seu regresso conseguiu dar corpo a uma inquietação partilhada por
muitos, e as suas palavras encarnaram uma espécie de grito colectivo
que, partido das entranhas do ser, ousou erguer-se contra a morte. As
suas alegrias e as suas inquietações, as suas obsessões e as suas
esperanças, são aprofundadas e percorridas com uma linguagem
plástica, na qual a intimidade diarística se abre na paisagem
estratificada das imagens da alma.

A tradução do livro que organizei, em colaboração com Claudio
Trognoni, para a editora Passigli, e a partir da qual a exposição tem o
seu título, representou o ponto de partida desta homenagem que senti
a necessidade de levar adiante. Parecia-me faltar, na apresentação deste poeta ao público italiano, um contexto visivo no qual inserir as suas palavras; por isso convidei a artista Ana Natividade, responsável pela oficina de gravura da escola de arte MArt, para pensar e coordenar uma evocação do clima estético de Al Berto, da sua Stimmung, uma vez que de paisagem falei. Desta forma nasceu o projecto de uma exposição colectiva que reune os pontos de vista daqueles que deram a sua contribuição numa leitura por imagens.

As obras que compõem esta exposição percorrem muitos dos
caminhos que Al Berto traçou, ou apontou, e, entre um silêncio
espantado, diria de Anjo Mudo (título de um livro de 1993), e um
vulto dilacerado, de muitas maneiras são aqui declinados os temas, as
sugestões e as atmosferas da obra deste poeta que, sem descanso,
entregou à vida o seu corpo e a sua alma. A todos aqueles que
participaram e tornaram possível a realização deste trabalho vão o meu agradecimento e a minha profunda alegria.